Você sabe o que é CRM médico? Entenda sobre o assunto!

Entender o que é CRM médico e como obtê-lo é essencial ao finalizar a graduação de Medicina, já que o registro é indispensável para o exercício da função.

Diversas são as preocupações para o estudante de Medicina que está terminando a graduação. Entre elas, está a de compreender o que é o CRM médico e quais são os passos para a obtenção. Para que, dessa forma, possa exercer atividades e se inserir no mercado de trabalho de forma legal. Isso porque ter somente o diploma em mãos não é suficiente.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto e ajudar você a tornar esse processo burocrático, mas indispensável para que possa iniciar carreira como médico, mais prático e simples. Confira!

O que é CRM médico?

O CRM médico se trata de um registro profissional requisitado ao recém-formado em Medicina para que possa trabalhar no país. A sigla CRM é originária de Conselho Regional de Medicina, que são entidades regionais do Conselho Federal de Medicina (CFM), responsáveis pela fiscalização e regulamentação da prática médica.

Como o CRM funciona?

O CRM só pode ser solicitado depois que o estudante concluir o curso de Medicina. Funciona como uma espécie de autorização para que possa exercer suas atividades como médico no futuro, independentemente de ser em hospitais, clínicas, consultórios próprios, entre outros.

É um registro realizado em órgãos estaduais. Sendo assim, ao fazer o credenciamento, você só poderá trabalhar nos limites do estado em que está registrado. Caso necessite se mudar para outra região, será preciso pedir a transferência do CRM médico. Agora, nas situações em que atuar, simultaneamente, em dois estados, deverá requerer um número de inscrição secundário.

Além disso, o CRM tem a finalidade de assegurar que os profissionais respeitem as normas de ética definidas pelo Conselho Federal e, dessa forma, manter a qualidade e eficiência dos serviços de saúde.

Para que serve o CRM médico?

Antes de tudo, somente com o CRM o médico pode trabalhar no país. Ou seja, mesmo que tenha concluído a faculdade de Medicina, sem ele, é impossível exercer a profissão. O registro também é necessário quando o profissional precisar:

  • Cancelar vínculo com alguma instituição de saúde;
  • Realizar transferência para outro estado;
  • Fazer transferências entre hospitais e clínicas.

Outro ponto é que o CRM exerce um papel relevante nos casos de:

  • Cumprimento das regras estipuladas no Código de Ética Médica;
  • fiscalização das condições do trabalho médico;
  • atuação do médico pesquisador, com divulgação de artigos e estudos científicos;
  • fiscalização na atuação dos médicos, averiguando denúncias;
  • suspensão ou cassação da licença médica.

Quais os benefícios de ter um CRM?

Não há dúvidas da importância do CRM médico, tendo em vista que proporciona uma série de vantagens. Veja as principais:

Fiscalização

Entre as funções do Conselho Regional de Medicina está a de fiscalizar as condições de trabalho médico nas unidades de saúde. Assim, realiza vistorias em instituições públicas e privadas, ajudando na apuração de denúncias.

O intuito é assegurar que o médico pode trabalhar em um ambiente apropriado para que possa focar a prevenção, diagnóstico e tratamento dos pacientes com segurança, além de proporcionar um atendimento humanizado, digno e de qualidade.

Cumprimento da ética médica

O Código de Ética médica versa a respeito da conduta que os profissionais devem ter em rotinas para atender os pacientes e lidar com demais integrantes da equipe.

Com isso, o CRM atua para verificar se as regras previstas nesse documento estão sendo cumpridas. Além de receber denúncias, apurar os casos e abrir sindicâncias, que podem ocasionar na cassação do registro profissional e impedir que o médico possa exercer suas funções.

Transparência para os pacientes

Nas páginas oficiais do CRM, os pacientes podem consultar o registro e dados sobre o médico para que se consultem ou realizem qualquer outro tipo de procedimento com mais tranquilidade.

Segurança nos serviços prestados

Quando o assunto é Medicina, qualquer falha pode resultar em consequências graves, levando em conta que a atividade está diretamente ligada à saúde dos indivíduos. Sendo assim, fica mais fácil compreender o quão significativo é o trabalho de um órgão criado para orientar e fiscalizar os serviços executados pelo profissional.

Os erros podem acontecer por negligência, omissão ou situações que sejam impossíveis de controlar. Por esse motivo, o CRM atua com base nesses fatos, apurando o que pode ter ocorrido e aplicando as sanções cabíveis.

Como obter um CRM médico?

O primeiro passo é concluir a faculdade de Medicina em uma instituição de ensino reconhecida pelo MEC.

Depois, você deve acessar o site do CRM do estado em que vai atuar profissionalmente, preencher a ficha cadastral disponível e se dirigir à unidade do Conselho Regional de Medicina mais próximo, com os documentos solicitados em mãos. Entre os mais comuns, estão:

  • Diploma original e cópia simples, frente e verso;
  • cópia simples do comprovante de residência;
  • cópia simples de RG, CPF, certificado militar com prova de regularidade e Título de Eleitor;
  • três fotos 3×4 recentes e com fundo branco.

É importante ressaltar que, caso ainda não esteja em posse do diploma, você pode solicitar uma declaração de colação de grau para a instituição de ensino e levá-la ao CRM. No entanto, é obrigatório apresentar o documento original no prazo máximo de 120 dias após a solicitação para adquirir o CRM médico.

Além de preencher a ficha cadastral e entregar as cópias dos documentos, será preciso fazer o recolhimento da anuidade e demais taxas, cujos valores vão variar de acordo com cada estado. Então, o mais adequado é fazer a consulta na página do CRM em que você for se cadastrar. Para isso, basta imprimir o boleto no site do conselho, realizar o pagamento e apresentar o comprovante.

Conseguiu entender melhor o que é o CRM médico? Com essas informações, fica mais fácil saber quais medidas devem ser implementadas para adquirir o seu registro.

Dessa forma, é possível exercer suas atividades dentro da lei, transmitir segurança para os pacientes e evitar a aplicação de penalidades pelo órgão fiscalizador por atuar de maneira irregular.

Este artigo foi útil para você? Aproveite e curta as nossas redes sociais, e fique por dentro das nossas publicações a respeito de outros temas na área da saúde. Estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top