Asma em criança: como fazer o diagnóstico e o tratamento?

A asma em crianças é um problema respiratório que pode causar sérias consequências quando não diagnosticada e tratada adequadamente.

Dificuldades para respirar, chiado no peito, asma e cansaço são sintomas clássicos da asma — que acomete, principalmente, as crianças. O problema respiratório pode ser desencadeado por vários motivos. Além disso, é a principal causa de doença crônica na infância, levando a um número elevado de consultas e internações nas instituições de saúde.

Sendo assim, é importante conhecer sua causa, realizar um diagnóstico prévio, reduzir a exposição aos agentes causados das crises e iniciar o tratamento adequado para evitar maiores problemas. Então, para esclarecer as principais dúvidas, elaboramos este artigo. Confira!

O que é asma?

É uma doença crônica que provoca a inflamação nas vias áreas, causando um estreitamento que gera dificuldade respiratória. Quando atinge bebês, crianças e adolescentes, é chamada asma pediátrica.

Dessa forma, atinge os brônquios e as vias respiratórias, fazendo com que essas estruturas ficam mais finas e estreitas, impedindo que a criança consiga absorver o volume de ar suficiente e, assim, sinta dificuldade generalizada para respirar.

Os sintomas de asma em crianças são bem parecidos aos de outras doenças respiratórias, como rinite, sinusite ou bronquite. Por este motivo, é necessário realizar o diagnóstico correto, para que os agentes responsáveis por desencadear as crises sejam afastados, ajudando a manter o bem-estar e qualidade de vida da criança. Os sinais mais comuns da asma são:

  • respiração curta;
  • dificuldades para respirar;
  • dor no peito;
  • tosse persistente;
  • sensação de fadiga;
  • chiado no peito e sibilos (ruído agudo no decorrer da expiração).

Quais as causas mais comuns em crianças?

Primeiro, é importante saber que as causas podem estar ligadas a diversos fatores, por exemplo, a hereditariedade. Afinal, quando um dos pais ou ambos os pais da criança têm asma, é provável que o filho também tenha esse problema de saúde.

A exposição ao vírus que atinge o sistema respiratório ainda pode contribuir para o desenvolvimento da doença em crianças ou desencadear crises mais agudas.

Reações alérgicas desenvolvidas por exposição a alérgenos comuns, como poeira, ácaros, pólen ou, até mesmo, alergias alimentares podem provocas a asma infantil. Além disso, outros fatores de risco são:

  • exposição a poluentes do ar;
  • mudanças de temperatura;
  • exposição à fumaça de cigarro;
  • realizar atividades físicas muito intensas;
  • ter emoções e sentimentos mais intensos etc.

Sendo assim, o profissional pediatra analisa os sintomas para realizar um diagnóstico preciso e orientar a respeito do melhor tratamento de asma em crianças.

Quais as possíveis complicações da asma em crianças?

Apesar de grande parte das crianças sofrer os sintomas já mencionados anteriormente, algumas podem apresentar outras complicações. Entre as principais, estão os problemas de sono, devido à dificuldade em respirar.

Como diagnosticar a asma em crianças?

O diagnóstico de asma infantil pode não ser tão simples, principalmente em crianças com menos de cinco anos. Isso acontece pela existência de outras doenças que apresentam sintomas parecidos ou associados à própria asma, como a bronquiolite, rinite e sinusite.

Contudo, em muitos casos o próprio exame clínico de um médico generalista já diagnostica a doença, sem a necessidade de exames para comprovar. Nas crianças maiores, a espirometria pode ser bastante útil para classificar a gravidade da asma e a eficácia do tratamento.

A presença de alergia é um dos principais fatores para o desenvolvimento da asma infantil. Isso significa que se a criança apresenta positividade nos testes de alergia, é mais provável que a doença se manterá ativa, do que na criança com testes negativos.

É essencial uma avaliação médica para realizar os testes de alergia em qualquer idade. Contudo, muitos casos de asma antes dos três anos de idade podem não ser alérgicos, mas sim provocados por vírus.

Apesar de um médico generalista ser capaz de realizar o diagnóstico, fazer uma especialização ou pós-graduação pode ser uma ideia interessante para a condução de diagnósticos mais precisos, além de abrir possibilidades de atuar em uma área específica. Entre as especialidades médicas disponíveis e que podem contribuir nesse processo, está a alergologia.

Como é o tratamento de asma em crianças?

Uma dúvida frequente é se a asma tem cura. Por ser tratar de uma doença crônica, não tem cura, então, é preciso entender que o tratamento da asma não deve ser feito apenas em situações de crise. Portanto, é necessário que seja contínuo, mesmo que a criança não esteja apresentando nenhum sintoma.

Medicamentos e limpeza

Em geral, o tratamento consiste na utilização de medicamentos inalatórios prescritos pelo médico, além de práticas de higiene para evitar o surgimento dos agentes causadores de crises.

É importante destacar que a limpeza da casa deve ser feita de modo a evitar que a poeira entre suspensão e seja inalada pela criança, usando, por exemplo, panos úmidos. Outro ponto é que os produtos de limpeza com cheiro forte devem ser evitados.

Medidas de higiene

No quarto da criança, as roupas de cama precisam ser substituídas com frequência, e os tapetes e pelúcias retirados ou, no mínimo, lavados periodicamente e expostos ao sol. Nos casos em que houver animais em casa, não há o que se preocupar, pois a convivência com um indivíduo asmático é possível, desde que sejam implementadas as medidas adequadas de higiene.

Outra ação relevante é manter as vias respiratórias da criança sempre bem higienizadas, evitando o acúmulo de secreções. A limpeza pode ser realizada por intermédio de soro fisiológico, colaborando para umidificar as vias aéreas, tendo em vista que o ressecamento das mucosas agrava os sintomas.

Nebulizador

O uso de um nebulizador também ajuda de forma significativa para evitar as crises, já que pode simplificar a administração dos medicamentos, a umidificação das vias respiratórias e, ainda, facilitar a respiração. Porém, no caso de uso de remédios, as recomendações médicas a respeito da dose e utilização do aparelho seguem caso a caso.

Neste conteúdo, esclarecemos as principais dúvidas sobre asma em crianças. Apesar de os seus sintomas serem bastante preocupantes, é possível controlá-los desde que o diagnóstico seja feito de forma apropriada, o tratamento seguido conforme orientação médica e as medidas preventivas aplicadas.

Achou este artigo útil para você? Então, aproveite a sua visita para conhecer o curso de Revisão de Terapia Intensiva Pediátrica e Neonatal.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top