Medicamento fitoterápico: o que é e quando optar por ele?

Esse tipo de medicamento é feito a partir do extrato de matérias-primas vegetais, atuando na prevenção e no tratamento de problemas de saúde

O médico moderno precisa estar em sintonia não apenas com as últimas possibilidades da ciência, mas também com as demandas de uma sociedade em constante evolução e pacientes cada vez mais participativos no cuidado à saúde. Por isso, é muito importante compreender o que é um medicamento fitoterápico e quando optar por ele.

Muitas pessoas priorizam esse tipo de tratamento, que conta com uma ampla variedade de princípios ativos e pode contribuir para os mais diversos quadros clínicos, com menos efeitos colaterais e menor chance de dependência. Quer aprender mais sobre o tema? Então, continue a leitura!

O que são medicamentos fitoterápicos?

De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), os fitoterápicos são medicamentos obtidos com o “emprego exclusivo de matérias-primas ativas vegetais cuja segurança e eficácia sejam baseadas em evidências clínicas e que sejam caracterizados pela constância de sua qualidade”.

Na prática, isso quer dizer que esse medicamento deve ser validado por meio de levantamentos farmacológicos, documentação científica ou ensaios, pré-clínicos e clínicos. Sua utilização deve ser recomendada, orientada e prescrita por um profissional devidamente capacitado e, dependendo da substância, isso pode ser feito apenas por médicos.

Como medicamentos fitoterápicos funcionam?

Para entender como eles funcionam, é preciso compreender melhor a origem dos medicamentos fitoterápicos. Como você já deve saber, as plantas são capazes de produzir naturalmente substâncias durante o desenvolvimento. Isso é feito visando a assegurar a sobrevivência, crescimento, reprodução e defesa contra as adversidades do ambiente.

Sendo assim, as espécies fabricam compostos ativos variados, que foram sendo usados ao longo da história da humanidade por conta dos relevantes efeitos terapêuticos no corpo humano. Com o avançar do tempo, a ciência e a Medicina padronizaram tais elementos bioativos, de forma a garantir um uso adequado, seguro e repleto de benefícios.

Quais são os benefícios dos medicamentos fitoterápicos?

A vantagem mais conhecida e valorizado é que a composição é natural, ou seja, livre de compostos químicos, como nos remédios alopáticos. Dessa maneira, é uma boa escolha para pessoas que têm muitas alergias, sobretudo, a algumas substâncias que são recorrentes na Medicina tradicional.

Além de a fitoterapia permitir tratamentos que tendem a ser menos agressivos, vale ressaltar que o índice de dependência é praticamente inexistente na modalidade, ao contrário do que ocorre com compostos sintéticos, que mudam de forma severa o funcionamento natural do organismo. Por isso, muitos médicos têm escolhido os fitoterápicos como conduta inicial em alguns casos.

Quais são os principais medicamentos fitoterápicos?

Até aqui, você pôde aprender mais sobre o conceito de fitoterapia. Bem como alguns dos principais benefícios dela para o organismo humano. Para continuarmos falando sobre o assunto, vamos seguir para uma parte mais prática, mostrando alguns dos muitos exemplos de medicamentos fitoterápicos. Acompanhe.

Derivados de cannabis

O uso medicinal da cannabis vem ganhando espaço no mundo inteiro e chegou ao Brasil, com uma recente autorização da Anvisa. Os princípios ativos são o canabidiol e o THC, em alguns casos. Produtos feitos a partir dessas substâncias estão sendo empregados em condições como epilepsia, dor crônica, espasmos musculares, náuseas, mal de Alzheimer, Parkinson e muito mais.

Valeriana

Com o nome científico de Valeriana officinalis, esse é um dos medicamentos fitoterápicos mais populares do Brasil. A planta, que conta com substâncias chamadas de valepotriatos, age no sistema nervoso central e tem a propriedade de aliviar o estresse e agir no tratamento de distúrbios do sono relacionados à ansiedade.

Guaraná

O extrato dessa planta é muito usado no Brasil há décadas, tendo propriedades tônicas e revigorantes. É um exemplo de conhecimento antigo, aproveitado por tribos indígenas amazônicas, que foi extrapolado para a ciência moderna. É indicado para pessoas com cansaço crônico e fraqueza, pois estimula o cérebro e dá mais energia.

Saw palmetto

A Serenoa repens, nome científico do Saw Palmetto, é um fruto oriundo de uma pequena espécie de palmeira, que é típica da América do Norte. No entanto, seu tamanho diminuto esconde propriedades tremendas, pois a espécie conta com muitos ácidos graxos e fitosteróis. Vem sendo recomendado para inflamações de próstata, queda de cabelo e muito mais.

Babosa

Embora seja originária da África, a famosa planta, cujo nome científico é Aloe vera, é um medicamento fitoterápico bastante popular no Brasil e, inclusive, se encontra disponível no nosso Sistema Único de Saúde. Ela pode ser usada na forma de gel ou pomada, agindo como cicatrizante de ferimentos de pele ou para queimaduras de primeiro e segundo grau.

Ginkgo biloba

Retirado de uma tradicional árvore que nasce no Japão e na China, a espécie conta com características incríveis, como atingir mais de 40 metros de altura e viver por muitos séculos. O seu extrato conta com indicações milenares, que vão desde cãibras e vertigem, até pacientes com zumbidos decorrentes de problemas de circulação sanguínea.

Quando receitar os medicamentos fitoterápicos?

Agora que você já sabe o que é medicamento fitoterápico e viu alguns dos principais exemplos, é provável que esteja se perguntando quando eles devem ser receitados. Essa vem sendo uma escolha recorrente por médicos para uma primeira abordagem de diversos casos, pela propriedade de causar menos dependência.

Recentemente, a fitoterapia tem sido uma poderosa coadjuvante no combate a depressão, ansiedade e insônia, por exemplo. Além disso, os derivados de cannabis vêm chamando muito a atenção, por ajudarem no alívio de sintomas em condições graves, como doenças degenerativas, epilepsia e redução de efeitos colaterais de quimioterapia.

Como você pôde ver, os medicamentos fitoterápicos têm uma gama de benefícios e podem ser utilizados estrategicamente, promovendo uma série de vantagens para os pacientes. O médico moderno precisa considerar tal opção e se atualizar quanto às possibilidades que a fitoterapia proporciona.

Gostou de aprender sobre o assunto? Quer entender mais sobre a importância terapêutica de cannabis medicinal e os avanços no uso dela? Então, não perca mais tempo e faça o download do nosso guia completo sobre o tema!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top