Médico generalista ou especialista: entenda a diferença!

Saiba qual o papel do médico generalista e do especialista, e faça a escolha profissional mais alinhada ao seu propósito

Você, que está cursando Medicina, já parou para pensar se quer ser um médico generalista ou especialista? Essa é a dúvida de muitos estudantes, especialmente, daqueles que se interessam por tudo — de clínica médica à cirurgia geral.

Saiba que o período de graduação é ideal para você investigar cada uma das especialidades e decidir se vai se aprofundar em alguma delas ou optar por ser generalista. Qualquer que seja a decisão, sua presença será vital para as instituições de saúde.

Mas o que é um médico generalista e especialista, afinal? Como ambos atuam e o que levar em consideração ao fazer sua escolha? É o que vamos mostrar ao longo deste conteúdo. Confira!

O que é um médico generalista?

Médico generalista é todo profissional que concluiu o curso de graduação em Medicina, mas não cursou a Residência Médica nem obteve título de especialista por meio de pós-graduação em universidades ou instituições educacionais.

O que é um médico especialista?

Para ser médico especialista, é preciso concluir o programa de Residência Médica ou obter título de especialização concedido por universidade ou instituição educacional que ofereça cursos de pós-graduação na área de Medicina. Há, oficialmente, 55 especialidades médicas reconhecidas pela Comissão Mista de Especialidades (CME), que é formada por:

  • Conselho Federal de Medicina (CFM);
  • Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM);
  • Associação Médica Brasileira (AMB).

São exemplos de especialidades médicas:

  • Neurologia;
  • Cardiologia;
  • Ortopedia;
  • Endocrinologia;
  • Oncologia;
  • Infectologia;
  • Dermatologia;
  • Ginecologia e Obstetrícia;
  • Pediatria.

Qual a importância do médico generalista e especialista?

Tanto o médico generalista, quanto o especialista são essenciais durante a assistência e a prestação de serviços de saúde ao paciente. Muitas vezes, ambos atuam de forma complementar. Isso acontece, por exemplo, quando o paciente procura um generalista, mas é encaminhado para um especialista.

O médico generalista avalia o paciente de maneira integral, tratando doenças teoricamente mais fáceis e rápidas de serem identificadas, como gripes. Ele cumpre um papel relevante na medicina familiar, logo, é vital em regiões mais carentes. Além disso, atua em prontos-socorros, salas de parto e prestando atendimento em Centros de Terapia Intensiva (CTIs).

Já o médico especialista deve ter amplo conhecimento em uma área de estudo da Medicina para atuar com excelência. Isso porque, em todas as especialidades, há pormenores que um generalista não consegue alcançar.

Imagine um paciente com recorrentes dores de cabeça sem causa aparente. Nesse caso, ele deverá ser examinado com cautela para que a origem do sintoma seja descoberta. Será preciso realizar exame específico — tomografia, por exemplo.

Assim, será determinado o devido diagnóstico e tratamento, que poderá ser medicamentoso, cirúrgico ou ainda envolver outros tipos de cuidados, a depender do problema.

Ao contrário do médico generalista, o especialista costuma atuar em clínicas e ambulatórios especializados. Há, ainda, profissionais que trabalham em hospitais, sejam eles especializados , como o Hospital do Coração ou Hospital do Câncer. Ou públicos e privados que tratam de áreas diversas.

Qual o número de especialistas e generalistas atuando no Brasil?

De acordo com o estudo Demografia Médica no Brasil 2020, dos 478.010 médicos no país, 293.064 (61,3%) são especialistas com um ou mais títulos e 184.946 (38,7%) são generalistas. Enquanto a maior parte dos especialistas está concentrada no Sudeste, a menor parcela se encontra no Norte e Nordeste brasileiros.

São quatro as especialidades mais populares, representando, no total 38%, dos médicos:

  • Clínica Médica — 11,3%;
  • Pediatria — 10,1%;
  • Cirurgia Geral — 8,9%;
  • Ginecologia e Obstetrícia — 7,7%.

Por outro lado, há áreas da Medicina com pouquíssimos profissionais atuando no Brasil, tais como:

  • Neurologia — 0,9%;
  • Reumatologia — 0,6%;
  • Geriatria — 0,5%;
  • Nutrologia — 0,4%.

Isso mostra que há defasagem de médicos no mercado, a depender da especialidade e região em que o paciente se encontra. Se pensarmos, por exemplo, que vivemos em um país no qual a população está envelhecendo a cada ano, há um déficit de médicos geriatras que precisa ser suprido.

Afinal, devo ser um médico generalista ou especialista?

Como vimos, a diferença entre um médico generalista e especialista está, basicamente, na formação e nas áreas em que cada um atua. Enquanto o primeiro deve concluir o curso de Medicina, o segundo precisa realizar Residência Médica ou obter título de especialização após a graduação.

Isso não quer dizer que todo médico generalista tenha apenas graduação em Medicina. Afinal, nada impede o profissional de se especializar em alguma área médica e continuar atuando como generalista. Há quem faça isso para se aprofundar mais em uma especialidade e progredir na carreira.

Mas o que levar em conta antes de decidir ser um médico generalista ou especialista? A resposta é simples: você precisa entender seu propósito de carreira e por qual área mais se interessa. Durante a graduação em Medicina, existe o contato com diversas especialidades, sendo essa uma oportunidade para identificar aquela que faz seu coração bater mais forte.

Você ainda pode fazer cursos livres durante a faculdade para conhecer melhor as áreas de seu interesse. Se mesmo assim não tiver certeza da escolha, haverá o período de residência ou, até mesmo, os cursos de pós-graduação oferecidos por escolas de Medicina — como a Inspirali — que podem ser realizados após o término da graduação.

Perspectivas para o médico especialista

Não podemos negar que um curso de especialização, em qualquer que seja a área da Medicina, valoriza o currículo do médico. Afinal de contas, o título torna o profissional um profundo conhecedor em determinada especialidade, abrindo portas no mercado de trabalho — tanto aos que desejam atuar em consultórios quanto em hospitais. Se conquistar boas oportunidades é um fator importante para sua carreira, pense nisso ao fazer ao escolher.

Então, ajudamos na decisão entre ser médico generalista ou especialista? Na verdade, essa é uma resposta que só você poderá encontrar, pois depende do seu propósito e das suas expectativas profissionais. Independentemente da escolha, lembre-se de que a Medicina, como qualquer outra área, é uma profissão dinâmica, que exige atualização e aprimoramento constantes.

Gostou do que leu? Estamos sempre produzindo conteúdos relevantes para ajudar você rumo ao sucesso profissional. Assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top