Cirurgia robótica: o que é, como funciona e quais as vantagens?

As inovações na Medicina trazem cada vez mais benefícios a pacientes e especialistas. Saiba mais sobre a cirurgia robótica!

Não é novidade que a ciência avança a passos largos. E isso impacta todas as áreas de atuação. No entanto, alguns ramos são mais sensíveis a mudanças tecnológicas e quebras de paradigmas, como o setor da saúde. Pensando nisso, preparamos um post explicando o que é, como funciona e quais as vantagens da cirurgia robótica.

Gradativamente, a alternativa vem sendo implementada na Medicina em todo o mundo, trazendo diferenciais importantes para os pacientes e fazendo com que os médicos cirurgiões precisem se adaptar para que não fiquem para trás. Quer aprender mais sobre o tema? Então, continue sua leitura!

Afinal, o que é a cirurgia robótica?

A cirurgia robótica consiste na utilização de braços robóticos durante os procedimentos operatórios. Vale lembrar que eles são totalmente coordenados por um médico cirurgião, que manipula comandos para a realização de incisões, resseções, reconstruções e assim por diante.

Além disso, oferece auxílio por meio de uma câmera 3D acoplada no equipamento, o que pode otimizar a visualização do procedimento e aumentar a segurança do paciente. A primeira utilização documentada de um procedimento cirúrgico assistido por robôs ocorreu no ano de 1985, quando o braço cirúrgico PUMA 560 foi usado em uma delicada biópsia neurocirúrgica.

Para que serve a cirurgia robótica?

Atualmente, a cirurgia por robótica já conta com muitas aplicações na Medicina, sobretudo, nas áreas de urologia, oncologia, aparelho digestivo (cirurgia bariátrica robótica), neurologia e ginecologia. No entanto, praticamente todas as especialidades podem colher benefícios com a técnica, e a tendência para os próximos anos é de uma tremenda expansão.

Na prática, o uso de robôs na Medicina permite abordar com maior precisão uma série de doenças e condições delicadas. É o caso da prostatectomia, cirurgia robótica de próstata que é a resseção do órgão, ou da cistectomia, que é a retirada total ou parcial da bexiga urinária. Porém, somente os médicos podem orientar se procedimento com robô é a melhor opção em cada caso.

Quais as vantagens da cirurgia robótica?

Agora que você já sabe o que é cirurgia robótica e observou algumas das principais aplicações dela na Medicina, é possível que tenha despertado o seu interesse sobre o assunto. Conduto, caso ainda não tenha se convencido de que é uma técnica altamente benéfica, confira as vantagens que separamos, a seguir.

Precisão milimétrica

É inegável que um dos maiores benefícios de apostar na cirurgia robótica está na precisão milimétrica dos cortes, que consegue ser superior à do melhor cirurgião humano. Isso ocorre porque a câmera 3D utilizada no procedimento permite que as imagens sejam vistas em alta definição e ampliadas em até 15 vezes, dependendo do equipamento.

Como se isso não bastasse, o software dos robôs filtra eventuais falhas do médico, como imprecisões ou tremores das mãos do cirurgião, que podem surgir em operações que durem muitas horas ou apresentem complexidades extremas. Estruturas de difícil acesso, como o diafragma ou a saída do esôfago, são ainda mais beneficiadas.

Segurança para o paciente

Outra das vantagens da cirurgia robótica está em uma das maiores metas da Medicina, que é a de oferecer mais segurança para os pacientes. O manuseio do equipamento, por exemplo, só pode ser feito por um profissional especializado, com todos os conhecimentos necessários e a expertise para assumir o posto e proporcionar os melhores resultados.

O procedimento também conta com mecanismos de proteção extra, para compensar eventuais falhas humanas. Além disso, como os cortes são menores e mais precisos, por conta das delicadas pinças cirúrgicas, a perda de sangue costuma ser muito menor, inclusive, na comparação com a laparoscopia.

Ergonomia para os médicos

Quem não atua na área de cirurgia, talvez, não tenha parado para pensar no assunto, mas ficar debruçado sobre uma mesa operatória, em um gelado centro cirúrgico, fazendo movimentos precisos durante horas a fio, não é nada fácil. Some-se isso ao estresse de ter uma vida humana nas mãos e você terá um cenário desafiador para qualquer médico.

Com a cirurgia robótica, é possível controlar o equipamento sentado, com muito mais conforto e ergonomia. O tempo do procedimento também será menor, na grande maioria das vezes, contribuindo para movimentos mais precisos e eficientes, além da promoção da qualidade de vida do profissional.

Como é realizada uma cirurgia robótica?

Durante uma cirurgia robótica, o equipamento é controlado por um médico cirurgião especializado no procedimento. Com a ajuda da câmera 3D presente no braço mecânico, ele poderá fazer um pequeno corte e visualizar a área a ser abordada com maior definição e profundidade, compreendendo melhor a situação.

Feito isso, ele comandará as ações do robô, por meio de um console no estilo “joystick”, bastante similar ao de um videogame. A tecnologia permite movimentos em até 360º, muito superiores ao ângulo do punho humano. Depois, ele realizará a conduta mais adequada, fazendo tudo em menor tempo e com muito menos chances de intercorrências.

Quais são as orientações pré-operatórias gerais da cirurgia robótica?

Além de saber o que é cirurgia robótica e quais os benefícios dela, muitos pacientes ficam curiosos quanto às orientações pré-operatórias gerais. Na realidade, na grande maioria das vezes, elas não diferem tanto das que seriam solicitadas para os métodos tradicionais, pois o procedimento terá a mesma finalidade.

No entanto, como a duração é menor e a precisão é maior, os trâmites costumam ser mais simples. Tudo depende do caso e do sistema que será abordado, mas o mais comum é pegar leve na alimentação no dia anterior, fazer jejum de 8 horas antes da operação e suspender algumas medicações, sempre sob orientação do médico.

Como você pôde ver, não faltam motivos para que a cirurgia robótica seja cada vez mais utilizada e se torne o padrão na Medicina em todo o mundo, nos próximos anos!

Gostou de aprender mais sobre o assunto? Quer conferir quais são os outros avanços relacionados com a tecnologia e a saúde? Então, não deixe de ler sobre a IoT (Internet das Coisas) na Medicina!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to Top